Pages

RSS
"A Era da Informação oferece muito à humanidade, e eu gostaria de pensar que nós nos elevaremos aos desafios que ela apresenta. Mas é vital lembrar que a informação -- no sentido de dados brutos -- não é conhecimento, que conhecimento não é sabedoria, e que sabedoria não é presciência. Mas a informação é o primeiro passo essencial para tudo isso."
Arthur C. Clarke

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Bom de Ler!

É preciso paciência e mãos delicadas para manusear amores e rocamboles. Ambos necessitam de atenção, doçura e uma certa parcimônia no uso do fogo alto. É aconselhável suspirar escondida no banheiro, pois se o ar estiver realmente muito forte eles se retraem, tímidos. Dizem que provando uma vez – qualquer um dos dois – se conhece o gosto das nuvens e, a partir daí, é um problema. Os outros doces e sentimentos já não são tão bons, é preciso ter aquela leveza, aquele contraste, aquela sensação de voar. Se fores rude no saborear, vais perder o encanto. Certo que ainda será bom, mas vais negar à tua alma um emaranhado de sabor que é a base do aconchego. Sim, rocamboles e amores significam aconchego, alento, encanto. Traçam planos futuros com o coração e, se não me engano, transformam o juízo em um gato. Só aparece de vez em quando e se quiser. Mas sempre elegante. Para cortar em pedaços é simples, basta mirar no que se quer. Para emoções longas, largo pedaço. Para solidão, fininho. Querendo tudo, é simples, divida por dois. Se, por acaso, caíres no vício, não te assustes. É possível viver com isso. Terás mais poesia derramada aos fins de tarde, mas ninguém morre disso. No mais, querendo ser feliz, cuide do recheio, pequenas surpresas para amores, goiabada para rocamboles. Sirva em temperatura ambiente. E repita quantas vezes puder.

FOTO: MARIO LEITE E PRODUÇAO ESTER DIAS

ROCAMBOLE DE GOIABADA
ingredientes:
6 ovos (claras separadas)
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) rasa de fermento em pó
açúcar de confeiteiro para polvilhar

para o recheio
1/2 quilo de goiabada derretida

modo de preparo

Bata as claras em neve. Com a batedeira ligada, junte as gemas uma a uma e o açúcar aos poucos. Desligue. Adicione a farinha peneirada aos poucos. Mexa delicadamente de baixo para cima e junte o fermento. Coloque a massa em uma assadeira retangular untada com manteiga e farinha. Leve ao forno pré-aquecido por 15 a 20 minutos. Retire do forno e deixe esfriar. Desenforme sobre um pano úmido e acerte as bordas com auxílio de uma faca. Espalhe a goiabada derretida sobre a massa. Enrole com a ajuda do pano. Mantenha enrolado por cerca de 5 minutos e, a seguir, polvilhe com açúcar de confeiteiro.
Fonte:Cristiane Lisboa.

3 Diga uma coisinha!:

Vera Costa disse...

Essa receita não tem segredos. Cozinheiros de 1ª viagem podem se arriscar sem sustos. Bom para o dia das mães (para os filhos fazerem, claro, rsss).

Baú da Conceição disse...

gostei, eu agoro as suas cronicas, a receita como sempre maravilhosa.
beijos

:.1Brainwashed.: disse...

Marcia, hmmm adoro! :p
Aqui vai a minha dica para enrolar sem segredo e sem medo de quebrar a massa...vc abre na mesa um pano de prato umido e coloca o rocambole assado, coloca o recheio dentro e enrola com ajuda do guardanapo a medida que vc vai tirando ele! ;) facilita mt! bjs